3 dicas sobre alimentação sustentável

Um estudo australiano descobriu que 31% dos veganos escolhem esse tipo de dieta porque estão preocupados com o meio ambiente. (1) Mas não são apenas os veganos e vegetarianos que se preocupam com padrões alimentares éticos. No Reino Unido, a compra de alimentos com cunho ético já forma 10% do total dessas compras. Para se ter uma ideia, isso equivale ao dobro da venda de cigarros e afins, além de estar em seu 13º ano de crescimento consecutivo.

Tendo isso em mente, vamos rever algumas das melhores estratégias para uma alimentação sustentável.

1. Compre local

Comprar produtos da temporada do outro lado do mundo pode parecer uma boa ideia, mas raramente esses produtos são tão saborosos como se você os tivesse comprado no portão da fazenda. Transportar alimentos internacionalmente, ou até mesmo por longas distâncias, requer queima de combustíveis fósseis. Alimentos com entrega local geralmente são mais frescos, mais baratos e mais saborosos. Experimente fazer compras em mercados de fazendeiros locais ou, melhor ainda, cultive suas próprias hortaliças ou faça trocas de produtos com amigos e vizinhos. Compras locais ainda mantêm seu dinheiro dentro da sua comunidade e contribui para pequenos negócios. Conhecer as pessoas que produzem seus alimentos é ótimo para o meio ambiente e também para as comunidades locais.

2. Reduza embalagens

Plásticos, metais e outros materiais de embalagem geralmente acabam indo para aterros sanitários.  Faça o possível para reutilizar embalagens sempre que puder. Reutilize bolsas de compras, use sacolas plásticas de polietileno reciclado de alta densidade como saco de lixo e lembre-se de comprar alimentos a granel e depois dividi-los em porções menores em casa. Alimentos minimamente processados significam menos embalagem e menos energia usada na produção. Portanto, concentre-se em adquirir e consumir alimentos essenciais ao invés de alimentos com longas listas de ingredientes artificiais.

Evite produtos descartáveis, sempre que possível. Ao invés de usar pratos e talheres descartáveis, prefira louça de verdade. Se você optar por descartáveis, certifique-se de escolher produtos que possam ser aceitos pela indústria local de reciclagem.

3. Opte por alimentos marinhos sustentáveis

Todos nós conhecemos os benefícios que os ômega-3 DHA e EPA trazem para saúde. Mas como suprir nossas necessidades e praticar alimentação sustentável ao mesmo tempo? Existem duas saídas.

Se você come peixe, dedique um tempo para se informar sobre pesca sustentável. A sobrepesca pode causar um impacto significante sobre ecossistemas marinhos inteiros. Escolha peixes, sejam de cativeiro ou pescados livremente, que sejam capturados de forma sustentável. Quanto aos criados em cativeiro, opte por fazendas de aquicultura certificadas. Se pescados livremente, opte por espécies que tenham rápida e fácil regeneração. Para começar, pergunte na sua peixaria ou restaurante se o peixe que você está comprando foi pescado de forma sustentável. Mesmo que não haja uma resposta imediata, a conversa vai ajudar a conscientização.

Outra alternativa é complementar sua alimentação com ômega-3 DHA de algas, que é derivado das microalgas consumidas pelos peixes – o que o torna muito rico em ômega-3! O DHA de algas é uma maneira sustentável de obter ômega-3 de alta qualidade, trazendo benefícios para saúde do coração, cérebro e articulações.

Alimentação sustentável faz bem para o meio ambiente e também para sua consciência. Portanto, pense em algumas estratégias que você possa executar e que ajudem a tornar sua alimentação mais sustentável.

Referências

  1. The Vegan/Vegetarian Society of Queensland (2013) ‘A pound of flesh’ Viewed 19/92017 https://www.scribd.com/document/26880337/APF-VVSQ

Melanie McGrice faz contribuições pagas para a marca life'sDHA e tem suas opiniões próprias. 

Postagens recentes


Este site utiliza cookies para armazenar informações no seu computador.

x